domingo, 16 de maio de 2010

Die to live

Faz um anos, foi numas férias, meu primo me apresentou Steve Vai, Joe Satriani, Dream Theater, Angra. Gravou umas cassetes. Talvez ainda as tenha. Recebi muito bem tudo isso. Não porque quisesse ser um guitarrista como eles (meu primo é) mas por ser tudo completamente novo.
Vi Satriani uma vez no Restelo com os AC/DC e uma no Coliseu em 2007, Vai vi três (tudo na Aula Magna), Dream Theater duas (na Praça Sony e no Coliseu).
Ouço-os menos, mas já fui completamente viciado. Angra acho que já não gosto nada. Até já tentei vender uns cds deles, que tenho. O preço que quiseram pagar lá na loja de cds usados fica só para mim, de tão ridículo. Os Angra permanecem aqui em casa.
E porque estou contando isso? Não sei bem. Hoje estava cheio de vontade de ouvir uma música que não sabia qual era, olhava para a prateleira dos cds e pensava. Buckethead, Tom Waits, Norman, estavam por ali por cima da aparelhagem dizendo "olá" mas estavam fora de tempo. E depois veio lá de dentro "Die to Live", de Vai, que disse "queres ouvir-me a mim". E agora está tocando o cd Alien Love Secrets do Vai, que, para além die to live, tem a maravilhosa "tender surrender", "ya-yo gakk", "bad horsie", "the boy from seattle", "kill the guy with the ball" (no link em versão orquestra).

1 comentário:

Gabizinha disse...

Pq Angra enjoa todo mundo?E como enjoa...