segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

epi les paul standard plain top e o seu zoom


A opção era difícil e cruel. A sociável e querida Fender JG que se enfiava num saco e pronto, sem mais amps e coisas. Ou a barulhenta e simpática Epiphone e o pedal Zoom. Optei pela primeira. Sabia que a opção era terrível. Não queria era sentir tantas saudades. Mas, de facto, ela não virá, por enquanto. Expliquei ao jp: a epi é dos up.
Bom, diga-se que eu e a Fender temos nos entendido perfeitamente.

Leituras de agora

Philip Roth, o avesso da vida. Estou gostando.

9 dias

9 dias, em outros contextos, significaria que já estava a 2 dias da metade da viagem.

Notas pessoais


9 dias depois de ter chegado, ontem comecei a conseguir ler aqui em Porto Alegre, com concentração. A primeira tarefa foi empinar o "Le Monde Diplomatique - Brasil". Com patrocínio da Petrobras na contracapa é o jornal crítico que deve ser. Aprendi bastante.
No fim, tirei uma nota pessoal, a usar sem moderação: "apesar do excelente Lula e da esperança Dilma, a mensagem é só uma: continuar lendo e vendo as coisas com sentido crítico".

UP EP


As gravações dos understood project, do dia 12 de Fevereiro de 2011 estão disponíveis no myspace da banda. Eu achava que não iam ser ainda as gravações definitivas. Vínhamos com uma grande descompressão do concerto nos Bacalhoeiros. Mas são as gravações possíveis, honestas e sinceras. Depois de ouvir, fiquei com a certeza de que não são as finais.

OAB-RS e UFRGS

A semana passada foi a semana OAB-RS. Tinha o trabalho de casa feito. Faltou só uma foto opaca de terno e gravata. Dos males, evidentemente, o menor.
Esta semana é a semana UFRGS, mestrado, revalidações e burocracias relacionadas.

Scliar resolveu ir hoje embora

Tristemente, hoje, antes do jogo, morreu Moacyr Scliar, escritor de Porto Alegre e torcedor do Cruzeiro.

domingo, 27 de fevereiro de 2011

sonhos

"Deu para sonhar", disse eu para o meu pai no fim do jogo. A frase é a síntese do jogo do Cruzeiro com o Grêmio hoje, valendo para as semi-finais do Gauchão de 2011. O Cruzeiro jogou bem, mas perdeu por 4 a 2 do Grêmio.
Para um time que há 32 anos não militava na I Divisão Gaúcha, o Cruzeiro fez uma excelente campanha. Mesmo para um time que sempre estivesse na I Divisão teria sido uma super campanha. O Cruzeiro fez sonhar.
O Cruzeiro foi a surpresa do meu coração aqui em Porto Alegre. Desbancou o Inter do meu pedestal neste capítulo Gauchão. Nunca pensei que fosse possível, mas o certo é que fiquei muito feliz quando ele ganhou do Inter-B e garantiu a vaga na semi-final.

sábado, 26 de fevereiro de 2011

garimpo e tranquilidade

Talvez toda esta tranquilidade devesse me preocupar. Mas o certo é que o conhecimento que tenho, de há muitos anos, me diz que daqui a pouco há um "clic" e o garimpo recomeça, incessante.

energia

É interessante ver como aquele negócio das energias positivas não é papo furado em algumas situações.

por enquanto

Menos escrita no blog - por enquanto - mas muita escrita na cabeça.

terça-feira, 22 de fevereiro de 2011

Importante

Coisas importantes:
Comprar tintas e telas e cavalete e pincéis;
Falar com o carlinhos sobre aquele projecto antigo dele, de música brasileira.

aonde quer que eu vá

Bacalhoeiros, parte II

É difícil escrever. Correu tudo muito bem. Ambiente de festa. Alguma tensão nossa no início e só. As pessoas gostaram. "Pareciam profissionais, não fossem as pausas". Algumas dançaram - fiquei surpreso. Os bacalhoeiros estavam cheios. Cheio cheio. Foi muito bom.
E gostaram do nosso som "new age, sinfónico, psicadélico". Não há mais nada a pedir.
O resto são as fotos.

Livros: parte VII

Em jeito de os primeiros:
Constituição Federal; Constituição Estadual; Código Tributário; Legislação do Trabalho; União Europeia e Mercosul.

segunda-feira, 21 de fevereiro de 2011

Bacalhoeiros, parte I










Alinhamento:
Intro;
The sea and the rocks;
Amanhecer;
Flyin;
Requiem num fim de tarde;
Open Your Mind;
Bells;
Tudo o que o vento traz;
Jota Sounds.
Bis:
Requiem num fim de tarde;
Tudo o que o vento traz;
Amanhecer;
Bells.
Acho que foi isso. UP nos Bacalhoeiros dia 11 de Fevereiro de 2011.

karadepau

Lê-se cada coisa. Há muita gente cara de pau. Fica-se num impasse, sem se saber se aquilo é má-fé ou se é uma forma de ignorância. É que até podem ter algum avanço. Mas fico pensando o que pensam quando a máscara cai, se acham que vale a pena. Ou se não cai, se não se questionam. Tenho algum prazer, em certas ocasiões, de puxar a máscara.

luzes

Muito activismo, luta, reivindicações, muito de tudo. Mas, há poucas horas, aconteceu uma reunião importantíssima, talvez a mais importante do ano, fora dos holofotes e da atenção da comunicação social.

vinda

A vinda para cá, já antes de aqui estar, explicou-me muito sobre o que é isso do irrenunciável. Aprendi mesmo muito, sobre coisas que nem me passavam pela cabeça.

Metas

Depois dos primeiros dias, em redor da família e da área salvaguardada, hoje começam as incursões relativas a metas.

Peremptoriedade

A tendência generalizada foi de peremptório e do perpétuo, no discurso de chegada dos que esperavam. Tirando uma ou outra excepção, o mundo das certezas absolutas quis dar acolhida. Não posso e não quero. Na verdade, conheço mal o mundo das certezas absolutas, com uma excepção que detecto logo de caras.

Onde estou

Tudo é novo visto desta perspectiva, sem contagens regressivas. É bom. É diferente. É como se começasse de novo. Há liberdade no ar. Pondera-se, reflecte-se e respira-se isso. Tinha de estar aqui. Houve a tal urgência do coração. Mas a pergunta "onde estou" passa mesmo por duas cidades.

POA

Estou em Porto Alegre desde o dia 17 de Fevereiro, às 12h20.
Foi bom, quero estar aqui.

quarta-feira, 9 de fevereiro de 2011

num debate

"No mínimo arrasador".
Acabei de ouvir agora.

tempo

a primeira vez, desde 1988, na minha cidade natal, com passagem só de ida, para passar um tempo. a chave da ida. demorei a me dar conta disso. ir sem a contagem regressiva dos dias que se vão esgotando no calendário, que nunca passaram de 60 e que nos últimos 10 anos não passaram de 25. não está em causa nenhum projecto muito elaborado. uma vontade de estar do outro lado do oceano e pensar, ponderar, reflectir, viver, estar. soa um pouco pretensioso. daí me preocupo. mas é isso. assumir porto alegre por uns meses, ou um pouco mais. lisboa sempre perdoa, espero. tem sido tão boa e vai aceitar esse desvio. não quer um cidadão, que é seu também, com a cabeça noutra cidade o tempo todo. pensando na família, amigos, essas coisas: as razões.

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

...

Não é preciso dizer mais nada quando se ouve uma música assim. Está tudo ali.

Rain on titan*

Rumour Cubes nas músicas.
A biblioteca está ficando muito grande. Não gosto muito disso. Mas são coisas boas. E vai ficar, por enquanto, neste registo. Não vou repetir qual o registo: está ali nas músicas qual é.
* A primeira música que conheci deles.

segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

UP no baca

Sexta os understood project tocam nos bacalhoeiros.
Estamos a dois ensaios disso.
Aquelas cenas mesmo fixes.

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Sigur Ros

Sigur Ros nas músicas. Esta banda todos conhecem. Talvez só eu conheça menos. O que é uma sorte. Tenho muita coisa mais antiga para ouvir, como se fosse nova.

Leaves in the sky


Eu que quase nunca vejo os vídeos com atenção - só os ouço - fiquei hipnotizado.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

mais legião

À procura disso aqui meti legião na pesquisa da aldeia e descobri 5 letras, pelo menos. Sempre legião, apesar, claro, de que "a Legião Urbana tem as músicas muito iguais. Seu sucesso é em virtude das músicas serem fáceis de tocar".

sempre legião


Todos os dias quando acordo,
Não tenho mais o tempo que passou
Mas tenho muito tempo:
Temos todo o tempo do mundo.

Todos os dias antes de dormir,
Lembro e esqueço como foi o dia:
"Sempre em frente,
Não temos tempo a perder."

Nosso suor sagrado
É bem mais belo que esse sangue amargo
E tão sério
E selvagem.

Veja o sol dessa manhã tão cinza:
A tempestade que chega é da cor dos teus olhos castanhos.
Então me abraça forte e me diz mais uma vez
Que já estamos distantes de tudo:
Temos nosso próprio tempo.

No tenho medo do escuro, mas deixe as luzes acesas agora.
O que foi escondido o que se escondeu
E o que foi prometido, ninguém prometeu.

Nem foi tempo perdido;
Somos tão jovens.

falando nisso

Num plenário importante, na CBL, alguém me avisou que tinha de se ausentar, que não podia ficar até ao fim da reunião, porque estava em mudanças.

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

o vestido mais bonito

Tendo momentos mais complicados, o certo é que o facto de eu conseguir encaixotar tanta coisa significa algo. A Graça é um bairro extraordinário de uma cidade que já adorava e que agora mexe mais comigo do que nunca.
Aliás, Lisboa começou a pegar pesado. Percebeu que eu ia viajar, e pôs o seu vestido mais bonito, colocou uma maquilhagem charmosa e um perfume delicioso. Enfim, para Lisboa só posso mesmo dizer "até já". Isso jamais vai ser uma despedida.

tudo guardado na cabeça

Depois de muitas subidas e descidas de escada, carregamentos, esforço, cansaço, correria e suor, continuo achando que a Graça é o meu bairro, mas não tenho lá uma porta que se abra para uma chave que seja minha. Fica, no entanto, para sempre, os três miradouros ímpares, a "estrela da graça", o largo e o eléctrico passando ali todos os dias e a toda hora, o botequim da graça e até o pingo doce nos sábados ou domingos de manhã. E fica tudo aqui dentro da minha cabeça. Muita coisa. Estou esquecendo e lembrando de muita coisa.

preço

Ao contrário, o preço baixou 20 cêntimos.

horas

As coisas boas não escolhem a hora para acontecer. Felizmente. Ou escolhem. Felizmente também. A qualquer hora, é sempre bom.