sexta-feira, 19 de fevereiro de 2010

Frio

Está um frio do caraças e tenho a janela aberta.
Sinceramente não sei o que eles significam. Acho que são bonitos e cheios de vida.
Isso basta.

Jantar

Excelente jantar hoje, no meio desta confusão do orçamento.

Nas bancas

E mais umas escutazinhas estão à venda no jornal, nas bancas. Sim, escutas, aquilo que devia ser complicado de divulgar, mediante regras, no próprio Tribunal.
[heliocentrismo]

quinta-feira, 18 de fevereiro de 2010

Querer

De vez em quando há coisas que gosto mais de escrever. Encarnar um sentimento qualquer meio abstrato e ir correndo atrás do que ele diz. Às vezes sai bem, outras vezes não. Este anterior acho que deu certo. Um dia devo perceber, e queira perceber, algo mais sobre isso.

Círculo (circo?) vicioso

E acabo lembrando de como isso é sempre tão igual. De como cometo sistematicamente os mesmos erros. Como crio expectativas, como quero que as coisas sejam tão diferentes e as coisas acabam por ser sempre tão iguais. Recebo as cartas, ordeno-as da melhor forma possível, espero, troco, passo a jogada, guardo, aguardo, tenho paciência, repenso, passo de novo, e de repente tenho uma combinação de cartas imbatível.
Jogo na mesa, todo entusiasmado e arrisco tudo - depois de tanto tempo e preparação, já nem sei se posso chamar "arriscar" sem difamar o sentido da palavra. Mas "arrisco", seja lá o que isso signifique.
E, de novo, mais uma vez, perco tudo de uma vez só. Talvez dizer "perder" seja um pouco exagerado. "Sempre se guarda qualquer coisa", diz aquele ali na ponta da mesa, que insiste com a história triste do copo meio cheio - meio vazio. Chega, eu digo.
E vou buscar outro baralho.

quarta-feira, 17 de fevereiro de 2010

Primeiros e segundos e terceiros e quartos e um mundo de "ses" e "talvezes"

Sobre um e sobre outro o mais provável que escolhesse sempre o primeiro. Gostava de não ter os dados que tenho, as circunstâncias que tenho, o contexto, entender a história (má ou boa), a gestão.
Mas sim, sinto que se conversou pouco e que se embarcou numa situação. Precipitada ou não. Mais sim do que não. Justificada, talvez. Acho que sim. Não sei, talvez pudesse ser diferente. Acho que não. Talvez não se estivesse à espera do segundo. Talvez o segundo só tenha avançado por motivos relacionados, direta ou indiretamente, com o primeiro.
Porém, outra coisa que me assalta (sincera e talvez ingenuamente) é que talvez isso tudo seja tão difícil (uma corda bamba?), e seja até ao último dia, porque nenhuma escolha é uma escolha verdadeiramente nossa. Não quero ser sectário, é só um raciocínio como outro qualquer. Nossa, aliás, sem colocar entre aspas ou fazer jogos de palavras.

Chaga

A quantidade de covers que há de "Chaga" dos Ornatos Violeta, no Youtube, é bem grande.
Nunca pensei. Algumas não prestam para nada. Porém, é bom o pessoal tentar. A equalização tem de ser excelente para resultar. E os músicos tem de ser bons. Vocal nem se fala.
A música e a letra originais, no entanto, são do melhor que há.

Já fiz isso tantas vezes

"ir ao maome em dia de chuva no brique e ler o jornal

é tambem muito bom"

A frase foi tirada de uma conversa no Facebook.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

O corpo é que paga

É certo que "quando a cabeça não tem juízo, o corpo é que paga".
Ontem, ao início, podia parecer uma burrice eu ter ido à festa de carnaval, estando o meu corpo a dizer tão claramente que queria descansar. Hoje estava de novo a dar sinais de insatisfação, quando acordei. Entretanto melhorou um pouco. Vamos acompanhando. Do que vejo e sinto não era a não saída à noite que ia fazer alguma diferença grande.
Fiz muito bem em desobedecer o meu corpo, pelo menos ontem. Era uma injustiça para mim que justamente no primeiro carnaval da CBL depois de 6 anos, eu ficasse em casa.
Acho que fiz bem. Lá encontrei uma freira grávida, árabes, tunisinos, torcedores da seleção brasileira, chineses, bruxas, hippies. Também passeei nos passos perdidos e ouvi uma outra voz. Felizmente estiveram lá.
Por outro lado, talvez devido ao efeito etílico, conversei sobre assuntos tão complicados como escapes e urgências artísticas, com um especialista do assunto e fomos parar nisso aqui. A pensar.
Em conclusão, dizer que não há corpo são sem mente sã e é preciso ir à procura da sanidade. Às vezes as urgências e necessidades encerram verdades e temos de desobedecer os mitos. Ou procurar o que nós queremos, imediatamente, sabendo das consequências, porque o depois nunca aparece e quem espera nunca alcança.

Troll já não tem nada a dizer, os tempos estão de volta

O Troll Urbano decretou o seu fim, quis acabar. Por isso, adeus link e um "é pena".
Os tempos que correm, que se tinham fechado com uma dúvida, regressaram - fiz bem em manter o link, portanto.

segunda-feira, 15 de fevereiro de 2010

Crying

Super noite essa, no Coliseu, em 30 de Abril de 2008.
Tinham censurado as filmagens que eu tinha encontrado no Youtube e postado aqui.
Por isso, não posso deixar de aproveitar essa que encontrei.

sábado, 13 de fevereiro de 2010

OE

A partir de segunda ainda mais subjugado ao OE. Este blog tem outro OE, de 2007, e ainda mais outro (este dá pistas) em 2008. Aqui ainda o post sobre o fim dele, em 2007.
Vivendo e trabalhando e aprendendo.

sexta-feira, 12 de fevereiro de 2010

No Anti-Blog de Criminologia

Discussões interessantes e até surpreendentes.

Disparates atrás de disparates

Disparates generalizados em todo o lado. É impressionante. Sequer o conflito de direitos e liberdades é argumentado - minto: ouvi uma pessoa a reconhecer isso nesse momento. Mas, de resto, a opinião é de que é tudo muito claro, tudo peremptório, tudo cheio de verdades definitivas.
Aditamento: seria um disparate eu dizer que está generalizado. Não está, mas tem muito mais adeptos do que eu estava à espera.

Um disparate nunca vem só

Há outros que defendem a mesma ideia disparatada. Talvez queiram defender um disparate ainda maior, para se manter no corrida dos disparates.

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2010

Disparate

Que grande disparate li e ouvi hoje. Ainda por cima dito com indignação e talvez com convicção (o que talvez seja o mais grave). Um disparate indignado e convicto, portanto. Não quero publicar o link - quero esquecer. Vai contra qualquer lógica, qualquer racionalidade, qualquer bom senso. Não tem jeito nenhum e é impossível ter justificação.

Avanço!

O casamento entre pessoas do mesmo sexo foi aprovado na Assembleia da República neste momento! Agora é esperar a promulgação pelo Presidente da República.

quarta-feira, 10 de fevereiro de 2010

Bola de neve

Concorde-se ou não com a divulgação, o ferimento é muito grande e não parece que irá sarar. Vai se alastrando. Não vejo solução. Parece insustentável. A não ser que algo mude, muito significativamente.

terça-feira, 9 de fevereiro de 2010

É preciso saber ver

É uma pena todo esse conflito. Mas é compreensível. Não é por mim e pela minha. Sequer agiria assim, mas percebo quem o faz. Nós vamos, aos trancos e barrancos, com muita dificuldade, vencendo alguns desafios e contamos com parcerias - ainda que este ano nos tenham dado um golpe dificílimo de gerir. No entanto, uma série de coisas estão acontecendo. É preciso melhorar o diálogo, não ser só recados, só exigências, de fora - ainda por cima - e para a última hora. É preciso gerar amizade e convergência. Não enxergar a coisa tanto como uma relação burocrática. Acho que é isso que mais fere as pessoas. É preciso ver bem que, esse atrito constante (inexistente antes), é de fato uma novidade e que as novidades não aparecem do nada.

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Fim de semana cheio

21h30 lançamento de livro; 00h às 3h00 noitada; 10h às 13h recolha de assinaturas; 17h20 levar chaves à CBL; 18h ténis; 20h jantar de aniversário; 00h às 4h festa; 10h futebol; 13h30 almoço em família; 15h às 20h plenário de associações.
A casa desarrumada e eu "arrumado", podre de cansado.

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Português de todos II

O que é engraçado é ver que nada disso o que está acontecendo representa o apocalipse versado nessa petição "pela língua portuguesa contra o acordo ortográfico". Ela merecia uns adjetivos, que com esforço me abstenho a proferir.

Português de todos

A partir de hoje vou começar a tentar escrever aqui no blog em português mundial, ou seja, segundo as regras do acordo ortográfico. Se formos ver posts anteriores, verificaremos que já há muito tempo posso considerar que escrevo, porque simplesmente há poucas mudanças de uma grafia para a outra.
Mas esse é um bom exercício e vou aprendendo mais com o tempo. Certamente haverá erros, mas para já fulminarei as consoantes mudas. Tremas aqui deste lado do Atlântico já não existiam. E nunca fizeram falta, aliás. Não sei ainda o que fazer com "facto" - que tem dupla grafia. Detalhes.
Fiquei impressionado de ver que já há jornais que escrevem em português de todos e que eu não tinha ainda feito nada para isso.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Last no Chrome

Em minha casa a Last FM funciona mal no Internet Explorer e bem no Google Chrome.
E que a Google me compense por esta informação/publicidade.

Uma novidade velha

É incrível quando se cria uma coisa que parece que sempre esteve ao nosso lado - é tão familiar caramba! Nunca tinha sentido isso e estou um pouco impressionado.

Apenas mais uma ilusão das flores

As músicas dos Cure ficam bonitinhas no violão (tirando Someone Else's Train).
Flores em você, Ilusão (essas são novas) e Apenas Mais Uma de Amor também. Um amigo meu diria que não vale tocar lendo as cifras. Eu não concordo. Tudo o que seja para ajudar a tocar é legítimo.
No entanto, é certo que tocar sem consultar nada ajuda infinitamente a interpretação, que sobe vários patamares de qualidade. Talvez seja isso.

Flores em você


Uma revisita.