domingo, 29 de janeiro de 2006

Neve em Lisboa

Neve em Lisboa!
Incrível!
Os meus 18 anos de Lisboa nunca tinham me permitido este espectáculo, ainda que efémero. Havia 52 anos que não nevava em Lisboa!
Algo está mudando, temos todos noção disso, não é?
Duas coisas garanto: não foi Cavaco Silva que trouxe a neve e neve não é sinónimo de desenvolvimento sustentado!

Grande Mundo III


(foto da TSF)
Para o Grande Mundo, não interessa saber se não tens outro lugar para morar.
Não interessa saber se vais viver para a rua ou para baixo da ponte.
Interessa é saber se tinhas licença para erguer a tua barraca. Interessa também saber se a tua barraca não fere os olhos dos endinheirados que se sentem incomodados pelo facto do material da tua tenda ser de zinco.
Se tiveres uma piscina e uma casa de cimento armado, podes ficar tranquilo que não vão te dar tiros com balas de borracha e nem sequer vão te enviar escavadoras para destruir todos os teus bens.
Outro aviso: não julgues que irás sempre ser perseguido. Se montares algo verdadeiramente grandioso, como um Centro Comercial ao lado de um Parque, mesmo que no meio de Lisboa poderás construir, mesmo sem licença. Inclusive, podes ter a certeza, logo à partida, que tal será autorizado.

sábado, 28 de janeiro de 2006

Grande Mundo II

Na TSF
AZINHAGA DOS BESOUROS
Demolição de barracas avança apesar dos protestos
As demolições de barracas no bairro da Azinhaga dos Besouros recomeçaram esta quarta-feira por voltas das 09:30 sob a protecção de cerca de 20 agentes da Polícia Municipal e do Corpo de Intervenção e elementos da Câmara Municipal da Amadora.
( 13:42 / 25 de Janeiro 06 )
A autarquia da Amadora iniciou terça-feira de manhã o processo de demolição de cinco barracas do bairro da Azinhaga dos Besouros.
Na manhã de terça-feira, os moradores do bairro tentaram, sem êxito, impedir as demolições. Durante a tarde registaram-se mesmo disparos de balas de borracha feitos por elementos da polícia, em resposta a tiros de caçadeira por parte de habitantes do bairro.
Hoje de manhã, a resistência dos moradoras prevalecia. Vários elementos da Associação Solidariedade Imigrante sentaram-se à entrada do bairro quando viram chegar a retroescavadora, numa tentativa de impedir que esta entrasse e iniciasse as demolições.
Elementos da polícia tentaram dialogar com os elementos da associação mas acabaram por retirá-los à força. Nathalie Mansoux, da associação, disse à agência Lusa que «a câmara está a demolir as casas sem que as pessoas tenham outra alternativa habitacional».«A situação das pessoas que não estão abrangidas pelo Programa Especial de Realojamento é um problema que tem de ser resolvido urgentemente», considerou também Nathalie Mansoux, uma cidadã francesa que desde há seis meses está a fazer um documentário sobre o bairro.
Moradora barricada desde terça-feira saiu às 11:40
A moradora do Bairro da Azinhaga dos Besouros que estava barricada no interior da sua barraca desde terça-feira de manhã saiu às 11:40 de hoje depois de duas horas de negociações com a polícia.Adriana Correia, que estava acompanhada no interior da casa com vários elementos da associação Solidariedade Imigrante, acabou por sair sem oferecer qualquer tipo de resistência.
Em declarações aos jornalistas, a sub-comissária da PSP, Paula Monteiro, disse que a proprietária da casa não queria sair, mas que através de um pequeno diálogo percebeu que era inevitável a casa ir abaixo e acabou por sair a bem.

Grande Mundo

Na TSF
Criança palestina morta por soldados israelitas
Uma palestina de nove anos foi morta, esta quinta-feira, por disparos de soldados israelitas perto da fronteira com o Estado hebreu, no sul da Faixa de Gaza.
( 23:55 / 26 de Janeiro 06 )
A menina, Aya al-Astal, «perdeu-se na zona a leste de Khan Younès (perto da fronteira) e soldados israelitas abriram fogo sobre ela», afirmou uma fonte da segurança.

Cavaco presidente

Já é difícil da maneira como as coisas estão.
Mesmo com um governo que se diz de esquerda, Portugal passa tantas aflições.
Agora, com Cavaco Silva eleito Presidente da República imaginem como vai ser.
Sócrates e Cavaco Silva vão-se entender?
E os dois vão-se entender com as pessoas?
A luta continua.

terça-feira, 10 de janeiro de 2006

O fuso da Bulgária

O meu relógio ultimamente vive se atrasando.
Será por eu estar a impor um ritmo demasiado elevado ao pobre instrumento? Mas ele é que tem a incumbência de manter-me a horas e não o contrário!
Estará ele apaixonado? Eu julgava que um relógio era um ser masculino, um rapaz... Mas, na verdade começo a ficar desconfiado - e devo dizer que tenho motivos para julgar que, pelo menos o meu, é uma rapariga. Vou vos contar.
Num campeonato de futebol em que participei, um árbitro pegou no meu relógio durante alguns jogos. O meu relógio era o assistente do árbitro no que toca à contagem do tempo, actividade fundamental num jogo de bola. O relógio, no futebol, é o alto dignatário e representante de Deus, pois este criou o tempo. Um ser soberano, que define a duração do jogo, impreterivelmente, se bem que se conceda, com muitas ressalvas, uma mínima flexibilidade ao árbitro, que pode invocar razões excepcionais (que devem ser muito bem fundamentadas) para estender por alguns minutos mais um jogo. Esta decisão, muito sensível, deve ser muito ponderada, sob pena de ataques de cólera e violência, intra e extra campo de jogo.
Bem, mas regressando ao tema que me lançou nesta dissertação, jogaram-se as partidas e, no fim de tudo, o árbitro lançou um piropo ao relógio, dizendo: você tem um óptimo relógio, muito bom mesmo... e bonito...
A partir daí tudo ficou estragado...
Aliás, o tal árbitro era búlgaro e já se sabe que estes amores distantes tem destas coisas.
Pobre relógio, no entanto, engana-se a si próprio com esta conduta. Devia era se manter adiantado, ficando assim mais próximo do fuso horário da Bulgária.

Amnésia

65% de intenções de voto para Cavaco (que é obviamente um exagero) significam uns 25% de eleitores a necessitar de ir ao médico pela crise galopante de amnésia.
É o Cavaco! O Cavaco!!!, aquele! Não se lembram?

E podes sempre limpar-lhe as teias de aranha...

«Até ao lavar dos cestos é vindima», avisa Mário Soares
Na passada semana estava a tentar recordar este ditado popular, tão relevante nestes dias, fundamentais para levar de vencida a ultra direita de que Cavaco é a acabada representação.
Hoje e até ao fim das campanhas a esquerda tem que esbravejar e votar contra este conformismo e fatalismo cavaquista e inaceitável.
Até mesmo tu Soares, que puseste o socialismo na gaveta, és melhor do que Cavaco. Porque, pelo menos, tens o socialismo guardado em qualquer lado.

domingo, 8 de janeiro de 2006

domingo, 1 de janeiro de 2006

Bem vindo 2006!

2006 chegou.
Bem vindo.
Sinta-se em casa, nos respeite e abra os presentes que traz.
Tudo o que for negativo deixe à porta. Se insistir, lembre-se que vamos guardar más recordações de si e que somos rancorosos.
Não quero pressioná-lo, porém se prepare porque todos esperamos muito de V. Exa.
Nós tentaremos dar uma ajuda.
Por favor 2006, colabore também.
"(...) as esperanças têm esse fado que cumprir, nascer umas das outras, por isso é que, apesar de tantas decepções, ainda não se acabaram no mundo (...)"
José Saramago, in As Intermitências da Morte