segunda-feira, 31 de maio de 2010

17 minutos

Não deu tanto trabalho como parecia. E valeu muito a pena.
- 20 hs lá em casa, para pegarmos as coisas.
- Afinal 19h30 lá em casa. (5 minutos depois)
- Afinal 19h40, trânsito! (10 minutos depois)
E lá estávamos enchendo o carro, com dois amps, cabos, guitarras e meia dúzia de cervejas.
- Fogo, este case é mesmo lindo! (Nunca falta essa parte).
Chegados a São Pedro de Alcântara, no outro lado da rua havia um raro lugar (raro, no tempo e no espaço). Mais fácil ainda. Parece aquelas conversas de que se sabe que uma coisa é mesmo para nós quando tudo bate certo.
Amps equalizados com mais altura. O objetivo da ida para esse espaço era mesmo esse. Uma maravilha. Novos problemas, novas soluções.
Saiu "tudo o que o vento traz", todinha. E saiu flyin, vento e bells pegadas umas nas outras. São mesmo irmãs. É uma viagem para fora de tudo, que dura 17 minutos.

1 comentário:

joão disse...

Se for sempre assim, já vale a pena.